© 2020 Sayprint. Todos os direitos reservados. A primeira comunidade gráfica do Brasil.
  • Facebook
  • Instagram
  • Ícone cinza LinkedIn
  • YouTube

O que você precisa saber sobre a indústria gráfica em 2020

Um novo ano se inicia. Com ele, vêm mudanças e novos desafios. Uma coisa é certa: a indústria gráfica está passando por uma revolução tecnológica. E para sobreviver e crescer com ela, a dica é simples: aprenda a mudar.


Segundo a InfoTrends, a impressão digital crescerá 12% ao ano até 2021, alcançando 871 bilhões de dólares. A pesquisa revelou, entretanto, uma tendência importante: a de redirecionamento de verbas para mídias digitais. É o caso, sobretudo, da fatia das verbas destinada à web. Enquanto as impressões vão de 29 a 26 por cento do orçamento, a web registra um aumento de 3%.

Essa é uma tendência que já foi observada pela maior gráfica online do Brasil, a Printi, que em 2016 recebeu um investimento de 60 milhões, e cresceu 6x o seu tamanho nos últimos 2 anos. A tecnologia web-to-print criada por eles vem revolucionando a indústria gráfica, otimizando a experiência do consumidor, e garantindo maior eficiência de produção. A ambição de seu co-fundador, Mate Pencs, é fazer sua empresa a Amazon dos produtos personalizados, e ele não é o único. Web-to-print consiste na simples integração entre tecnologia digital e impressão. Atualmente, grandes e pequenas gráficas têm, cada vez mais, adotado plataformas próprias de e-commerce, muitas vezes dispondo de uma ferramenta de edição e criação de materiais personalizados integrada com modelos, templates, etc.


O grande desafio é competir pelos resultados nas buscas com a líder do mercado online, e ter vendas expressivas na internet. Ainda no Brasil,  97% do setor são de micro e pequenas empresas, o que representa mais de 18 mil gráficas competindo diretamente com a gigante da internet.


Veja esta análise das 3 principais gráficas online no Brasil em novembro de 2019.


O grande erro que micro e pequenas gráficas digitais cometem tentando vender na internet é querer agir igual aos grandes players do mercado, com "soluções web to print" que entregam um ecommerce com serviços gráficos personalizados, onde o cliente faz todo o processo online, acompanha a produção pelo site e tem entrega facilitada do material.


Ao tentar construir uma presença online seja nas redes sociais, ou através de um site próprio querem se transformar em uma gráfica 100% online. É preciso construir a presença online local, mostrar sua empresa está conectada as tendências, aos avanços da tecnologia e a maneira das pessoas se relacionarem. para que os potenciais clientes da sua cidade e região sejam realmente clientes, e não de gráficas 100% online que vão produzir as impressões a centenas ou milhares de km de distância e enviar para a sua cidade, para o seu cliente. É importante entender a diferença de SER online, e ESTAR online. Muito obrigado por ter lido até o fim, deixe nos comentários o que achou. Feliz 2020 para todas as pessoas que constroem diariamente a indústria gráfica brasileira. Um abraço, Ton.


26 visualizações